LIVRO | The Art of Atari já em pré-venda!

Uma imagem, muitas memórias.

Quem nunca jogou as preciosidades do Atari 2600 (ou Atari VCS), conhecido simplesmente como Atari, não pode afirmar que é gamer. Embora não tenha sido o primeiro videogame, certamente foi o responsável por popularizar a jogatina virtual caseira ao redor do mundo. No Brasil, o console foi disponibilizado pela Polyvox (pertencente à Gradiente). Não tive este equipamento. Minha atarização se deu através do igualmente clássico SuperGame VG-2800, da CCE. Outros consoles “clones” vieram no mesmo período.

Apesar dos jogos serem divertidos, inventivos e viciantes, em muitos casos a parte gráfica era bastante rudimentar. Desta feita, era preciso dar asas à imaginação para seguir a intenção dos programadores. Assim, um quadrado se tornava um cavaleiro medieval, outros conjuntos de quadrados se tornavam naves espaciais poderosas ou velozes carros de corrida e assim por diante. Este subterfúgio era reforçado pelas informações contidas nos manuais dos jogos, propagandas e catálogos. E, principalmente, nas artes das capas e dos cartuchos.

São justamente estas artes excelentes que compõem o livro The Art of Atari, em pré-venda nos Estados Unidos.

Com autoria de Robert V. Conte e Tim Lapetino, a edição tem capa dura e 352 páginas repletas de belas ilustrações, além de informações sobre todo o processo de criação das mesmas, bem como sobre os artistas envolvidos.

Lançamento previsto para 25 de outubro, com preço de US$ 30.56. A Amazon brasileira também oferece a obra, ao custo de R$ 129,15 (4,23 vezes mais caro; pense em economia quebrada e moeda desvalorizada). Estamos de volta a 1983?

[Via: Art of Atari]

Link para a pré-vendaL

AMAZON EUAAMAZON BRASIL

 

Categorias: LivrosNotícias

Tags: , , , , , , ,

Sobre o autor

Cidraman é o alter-ego de Leandro Pinheiro, colecionador de DVDs desde 2002, fã incondicional de Star Wars desde sempre. Um saudosista maldito com orgulho. Sua missão é destruir mundos, lutar pelos fracos e oprimidos e acabar com as injustiças que assolam o universo colecionístico.