BD Resenha | Atividade Paranormal: Marcados Pelo Mal

O horror é um gênero que vive de fases. Slasher e Torture Porn já tiveram seus ciclos de sucesso e desgaste; a bola da vez agora é o Found Footage. Fácil de compreender: são filmes feitos com poucos recursos, gastando pouco dinheiro e que levam um bom público ao cinema e arrecadam bastante.

Um bom exemplo é a série Atividade Paranormal, que já rendeu cinco (!) filmes e que continua dando bons lucros à Paramount. O filme que avaliaremos aqui é justamente a quinta parte, Marcados Pelo Mal, que custou US$ 5 milhões e rendeu mais de US$ 86 milhões mundo afora. A obra recebeu edições nacionais em DVD e Blu-ray, lançadas (obviamente) pela Paramount no dia 17 de abril deste ano; faremos uma breve avaliação da edição em Blu-ray do filme.

Informações técnicas

Esta edição nacional é espelho da edição americana, tendo portanto as mesmas características técnicas, a saber:

  • Formato: BD-50
  • Região: ABC
  • Codec de vídeo: MPEG-4 AVC
  • Resolução: 1080p
  • Aspect ratio: 1.78:1

Apresentação

Temos aqui o padrão para edições em Blu-ray no Brasil: estojo HD Case modelo AMZ (sem buraco cata-pó, mas com uma trava de disco horrível), sem luva nem arte interna. Pobrezinha, mas combina com o filme. Para completar a feiúra, a arte do disco é aquela coisa cinza comumente utilizada pela Paramount. Nos EUA, além da edição ser um combo BD + DVD, ainda há luva.

Rotulagem

Exceto o aspecto de 1.85:1 (na verdade, o filme está em 1.78:1) e uma vírgula faltante na sinopse, não há erros que incomodem. Poder-se-ia dizer que os dizeres “o Paranormal mais assustador de todos” e “o melhor da série” são erros de rotulagem, mas como são opiniões de “críticos”…

Vídeo

Temos uma transferência em 1.78:1, codificada em 1080p. Há dois cortes do filme no disco: a versão de cinema (84 minutos) e, para aqueles que quiserem mais conversa fiada e sustos falsos, a versão estendida (101 minutos). Ambos os cortes estão disponíveis em disco, sem o uso de seamless branching para a inserção das cenas da versão estendida na versão de cinema. Isso ocupa mais espaço (por isso o uso de mídia dupla camada), mas permite um playback sem engasgos.

Não dá pra esperar uma grande qualidade de imagem em um filme supostamente feito com uma câmera comprada em uma loja de usados. Como nos demais capítulos da série, há ruído, cores lavadas, pretos acinzentados e coisas do tipo. Como a ideia é proporcionar ao expectador uma experiência “realista”, a transferência cumpre seu objetivo.

Áudio

Temos as seguintes trilhas de áudio:

  • Inglês DTS-HD Master Audio 5.1
  • Inglês (audiodescrição) Dolby Digital 5.1
  • Francês Dolby Digital 5.1
  • Espanhol Dolby Digital 5.1
  • Português Dolby Digital 5.1

A trilha original é simples, com poucos efeitos de surround e com o subwoofer vibrando nas cenas de manifestação demoníaca (uma característica da série). Como também faz parte do objetivo de passar “realismo” a quem assiste, nem dá pra criticar muito a mixagem. A dublagem em português é bem feita e não apresenta problemas.

Legendas

Temos as seguintes legendas:

  • Inglês
  • Inglês para deficientes
  • Francês
  • Espanhol
  • Português brasileiro

A tradução é bem feita e não existem erros de sincronismo. A visualização também é boa.

Extras

Pra quem não se cansou de perder tempo, há sete cenas deletadas que não fazem a menor falta. E só.

Avaliação geral

Sendo a quinta parte de uma série já desgastada, não dá para esperar nada além de clichê em cima de clichê, poucos sustos e uma absoluta ausência de tensão. O Blu-ray em si não se destaca tecnicamente, justamente por privilegiar a sensação de ser algo filmado de forma amadora e com equipamentos comuns. Com uma apresentação pra lá de comum e sem extras relevantes, é um título que não se destaca na multidão.

A princípio, recomendamos este título apenas aos completistas e fãs da série. Porém, com o preço sugerido de R$ 79,90, recomendamos aos colecionadores que passem longe enquanto o valor pedido for este absurdo, praticamente o mesmo da edição americana com o imposto antecipado da Amazon. Paramount, não basta o filme ser “realista”; o preço do Blu-ray também tem que ser!

[Agradecemos à Paramount por gentilmente ceder o título para avaliação]

Link direto para a edição:

Categorias: Blu-rayResenhas

Tags: ,

Sobre o autor

Alexandre Prestes era rato de locadora nos anos 80 e nunca se animou a comprar VHS por ser uma mídia de baixa durabilidade. Fã incondicional da boa música, iniciou em 2003 sua coleção com DVDs musicais; só a partir de 2005 passou a comprar filmes e séries. 2009 foi o ano no qual começou a colecionar filmes em Blu-ray, sendo um entusiasta do formato. A coleção continua crescendo (e o espaço diminuindo), cada vez mais a favor de títulos com maior qualidade técnica e fartura de material adicional.