INACREDITÁVEL! Replicadoras brasileiras se recusam a fabricar Blu-ray de Azul é a Cor Mais Quente

Capa da edição em Blu-ray nos EUA pela Criterion

Vencedor da Palma de Ouro de Cannes em 2013, Azul é a Cor Mais Quente conta a história de Adèle, uma garota de 15 anos que se apaixona por Emma, uma garota de cabelos azuis, e descobre a mulher dentro de si mesma. O filme causou polêmica, não só por enfocar o amor homossexual, mas também por suas gráficas cenas de sexo e pelas reclamações das atrizes principais e da equipe de filmagem com relação à postura autoritária do diretor Abdellatif Kechiche durante a realização do longa. Mas a maior polêmica só poderia acontecer aqui no País do Carnaval.

A Imovision, produtora responsável pelo lançamento do filme aqui no Brasil, postou em sua página no Facebook a seguinte nota:

O lançamento do DVD de Azul é a Cor Mais Quente se aproxima, mas temos uma péssima noticia para os fãs do filme: as empresas brasileiras produtoras de blu-ray se negam a produzir o filme devido ao seu “conteúdo”.
Ainda estamos batalhando para reverter essa situação, mas não conseguimos acreditar que tratariam dessa forma a história de amor mais linda de 2013, vencedora da Palma de Ouro no Festival de Cannes e diversos outros prêmios.
O que vocês acham disso?

Com esta nota inicial, as primeiras reações foram de revolta (com o fato) e de desconfiança (com a produtora). Motivos para isto não faltavam: o fato do DVD ser produzido normalmente; o absurdo da situação (inédita no mercado de home video) e a falta de informações a respeito. Teve quem achasse que isto era uma manobra da Imovision para não lançar o Blu-ray do filme e se isentar das críticas dos consumidores.

Imediatamente, a Imovision afirmou que a empresa “nunca usou artifícios ou plantamos noticias para atrair consumidores”. Também disse que o DVD seria produzido porque encontraram uma empresa terceirizada que aceitou replicar os discos; senão nem o DVD seria lançado. Esta empresa (cujo nome não foi revelado) não replica Blu-rays.

Logo depois, pressionada pela reação das pessoas nas redes sociais, a assessoria de imprensa da Imovision enviou a seguinte nota oficial:

NOTA OFICIAL: BLU-RAY DE “AZUL É A COR MAIS QUENTE”

“Depois das dificuldades encontradas para a replicação do DVD do filme “Azul é a Cor Mais Quente”, a Imovision procurou a empresa brasileira Sonopress, que replica seus títulos em Blu-ray, mas a mesma se recusou e ainda alegou que nenhuma outra empresa faria o serviço.

A Imovision então contatou a SONY DADC, que também se recusou a produzir o Blu-ray do filme, por considerar o conteúdo inadequado devido às cenas de sexo, apesar do filme já ter sido classificado para maiores de 18 anos.

O filme, vencedor do Festival de Cannes, só poderá ser reproduzido em DVD até o momento. A Imovision, distribuidora do filme, lamenta o fato e busca alternativas para a replicação do filme em Blu-ray no âmbito nacional.”

Além disso, o presidente da Imovision confirmou o boicote em entrevista para O Globo. Ou seja, o assunto é sério. Seríssimo.

Até agora, a Sonopress  respondeu ao BJC que “não tem ninguém aqui no momento para falar sobre isso” e a Sony DADC informou que estava em reunião (provavelmente para analisar o assunto). Na reportagem de O Globo, a Sonopress afirma que o boicote não tem motivação religiosa, mas sim que o contrato que eles têm com empresas como Disney e Microsoft impede que a empresa replique Blu-rays com “cenas explícitas”. Se isto se confirmar, é o maior absurdo de todos os tempos.

Primeiro, porque uma replicadora não é responsável pelo conteúdo dos discos que ela produz. A obrigação das replicadoras é fabricar um certa quantidade de discos no prazo determinado em contrato e nada mais. A responsabilidade pela autoração não é das replicadoras, nem o fornecimento do conteúdo dos discos.

Segundo, é ridículo que clientes possam ter ingerência sobre o que terceiros podem ou não produzir nas replicadoras brasileiras. Isso abre um precedente perigoso, onde companhias se utilizam de seu poderio econômico para prejudicar concorrentes e/ou limitar o acesso dos consumidores a obras que sejam contrárias às políticas de empresas, igrejas ou partidos políticos. Um verdadeiro atentado à liberdade.

Além disso, a desculpa não cola, pois filmes com cenas eróticas já foram e ainda serão lançados em Blu-ray no Brasil; por exemplo: Último Tango em Paris (replicado pela Sony DADC), Anticristo (também replicado pela Sony DADC), Ninfomaníaca – Parte 1 (a ser replicado pela própria Sonopress) e Calígula (replicado pela falecida Videolar). Aparentemente, sexo por si só não é o problema.

Será então que o motivo do boicote é o fato dessas cenas ocorrerem entre pessoas do mesmo sexo? Afinal,  mesmo sem erotismo, são poucos os filmes com personagens principais gays lançados em Blu-ray no Brasil. Monster – Desejo Assassino, Filadélfia, Milk – A Voz da Igualdade, entre outros, existem em nosso mercado apenas em DVD; há poucas exceções, como O Segredo de Brokeback Mountain ou Priscilla: A Rainha do Deserto.

Se o boicote for por causa das cenas de sexo, é hipocrisia. Hoje em dia, qualquer um tem acesso a sexo na Internet, nas bancas de jornal e até na televisão aberta, nos BBBs da vida. Mas replicar em Blu-ray um filme que será vendido apenas para maiores de 18 anos não pode? Que coisa ridícula! E se o boicote for por causa do conteúdo homossexual, é preconceito mesmo. Se você não quer ver filmes com gays, não assista nem compre filmes assim. Mas não impeça o acesso de outras pessoas a esses filmes.

Seja como for, esperamos que a Imovision consiga uma replicadora (alô AMZ!) que não seja refém do puritanismo de alguns e consiga lançar o Blu-ray de um dos melhores filmes de 2013. Todos os cinéfilos e colecionadores adultos e desprovidos de preconceito merecem ter acesso a esta obra em alta definição.

Link para as pré-vendas na Saraiva:

Categorias: Blu-rayProtestos

Tags: , ,

Sobre o autor

Alexandre Prestes era rato de locadora nos anos 80 e nunca se animou a comprar VHS por ser uma mídia de baixa durabilidade. Fã incondicional da boa música, iniciou em 2003 sua coleção com DVDs musicais; só a partir de 2005 passou a comprar filmes e séries. 2009 foi o ano no qual começou a colecionar filmes em Blu-ray, sendo um entusiasta do formato. A coleção continua crescendo (e o espaço diminuindo), cada vez mais a favor de títulos com maior qualidade técnica e fartura de material adicional.
  • Beto_Sobral72

    Nada contra aos homossexuais, mas se a intenção é assistir filmes com cenas de sexo, temos produtoras especializadas nesse assunto, se a intenção é mostrar uma historia romântica ente pessoas do mesmo sexo, temos vários filmes que abordam esse tema, a impressão que tenho é que estão tentando empurrar um filme que que criou mais polemicas , assisti e sinceramente, é muito fraco.
    Sei que vão me criticar ( serei chamado de homofobico ), mas não gostei, talvez eu assisti com muita expectativa pelo prêmio em Cannes , esperava mais desse filme.
    Mas como mencionei , que quer ver um filme com cens de sexo, temos no mercado produtoras especializadas, quem que ver filme que trate do assunto homossexual , há no mercado filmes mais emocionantes .

    • andersondabio

      Beto, vc realmente vai ser criticado, mas nada a ver com homofobia, mas simplesmente pq não entendeu a questão central… Ninguém está discutindo a qualidade do filme ( se achou ruim, é um direito seu), mas sim o fato de o filme não estar sendo lançado em BD e os motivos que levaram a isso… Ninguém esta tentando empurrar nada, mas simplesmente dar a opção aqueles que querem assistir, de poder assistir…

    • Lucas Ed.

      E quem quer ver Azul é a cor mais quente…?
      Uai, se vc não gostou, se achou fraco, se achou que foi empurrado goela abaixo por causa da polêmica, tudo bem, direito seu.

      Mas posso eu ter a minha opinião – diferente da sua – e o meu blu-ray na estante?
      obrigado!

    • Beto_Sobral72

      Em nenhum momento fui a favor do boicote do filme, quem assistiu e gostou, tem o direito de ter esse filme em sua coleção , apenas vejo o que esta acontecendo, como uma forma de promover o filme, pois se o filme não for lançado, isso vai chamar a atenção para o filme e o estúdio que lançara o filme terá uma boa promoção do filme.
      A polemica é uma boa forma de divulgação, no passado fizeram isso, no presente fazem e no futuro farão .
      Como diz Cauby Peixoto :
      – Falem Mal, mas falem de mim .

      • andersondabio

        Mas a partir do momento que as 2 replicadoras afirmam que a empresa realmente procurou eles e que ambas as empresas se recusaram a fazer o serviço pelos motivos levantados no texto, acho que saí da esfera comercial e caí na esfera jurídica… O que podia se tratar de um caso de auto-promoção acaba se tornando um caso de censura, o que é claramente proibido no Brasil. A questão central do texto é essa…

      • André Pessoa

        "Em nenhum momento fui a favor do boicote do filme, mas…"

        O problema é o "mas". A verdade é que você não liga a mínima para o boicote do filme, pois se ligasse não ficaria procurando questões absolutamente acessórias para criticar a distribuidora.

        Aliás, acessórias e mentirosas, pois não é verdade que a distribuidora criou esse caso para promover o filme. Quando saiu a primeira nota da Imovision, eu desconfiei, porque era inacreditável imaginar que uma replicadora pudesse vetar um filme por causa de seu conteúdo. Mas confirmado o fato, fica claro que a distribuidora teve uma atitude muito correta. Se fosse você a empresa, o que você faria ao ter sido censurado de maneira tão torpe? Ficaria calado, sofrendo as críticas do seu público por não lançar o filme em Blu-ray? Ou diria a verdade, que foi o que fez a Imovision?

    • esm999

      Um dos depoimentos mais idiotas e tendenciosos que eu já li!!! E não estou me referindo a homofobia, e sim ao fato de vc legitimar, achar super normal o fato de uma obra de arte ser proibida de ter seu lançamento no país, impedindo várias pessoas de terem acesso, porque NA SUA OPINIÃO, existem obras melhores no mercado. Quer dizer que agora alguém irá decidir por nós, qual filme é melhor assistirmos??

      Vamos fazer uma pequena mudança, imagine se o bluray do Homem-Aranha fosse proibido de ser lançado aqui, vc iria achar normal só porque existem outros filmes de superheróis melhores do mercado???

      • Beto_Sobral72

        Tendencioso idiota por eu não gostar desse filme ?
        Sim NA MINHA OPINIÃO, Filadélfia é superior , Priscilla – A Rainha do Deserto é melhor , Meninos Não Choram é melhor e outros mais.
        Agora se os meus heróis não representam os seu ideais eu te respeito , não vou dizer que a sua opinião é idiota ou vou usar termos pejorativo para tentar inferiorizar a sua opinião, certa ou errada eu vou respeita-la.
        Li e reli , mas nem nenhum momento fui ou sou a favor do boicote o que escrevi esta lá , só não gostei do filme.

        • botering

          Você está sendo hostilizado por um questão muito simples Beto. Você veio dar a sua nobre opinião num post que não tem nada a ver com (e não pediu) a opinião de ninguém sobre o filme, muito menos a sua. Talvez a opinião dos donos da replicadora fosse interessante, mesmo assim não seria lá de grande relevância quanto os fatos e suas ações.

    • Fatini

      De onde você tirou a ideia de quem quer assistir o filme é apenas pra ver as cenas de sexo?
      Caramba, foi o post mais imbecil que li também.

      • Beto_Sobral72

        "O filme causou polêmica, não só por enfocar o amor homossexual, mas também por suas gráficas cenas de sexo "
        Foi dai de cima .
        Que isso ! imbecil, idiota só por não ter gostado desse filme , assisti sim , paguei caro em um ingresso e agora sou hostilizado, só por não ter gostado do filme ?

        • andersondabio

          Até agora vc não entendeu Beto… Vc não está sendo hostilizado por não ter gostado do filme… Na verdade as pessoas tão pouco se lixando pro que vc achou do filme… As pessoas estão te hostilizando pq o post é sobre alho e vc está falando bugalhos… Seu comentário inicial não tem nada a ver com o tópico e em nada acrescenta na discussão… Só por isso….

    • konshal

      Beto, todo mundo sabe que opinião é pessoal e cada um tem a sua. Mas indiretamente você está direcionando a sua opinião para as pessoas alheias: assim como você não gostou de Azul é a Cor mais Quente, os outros filmes de sexo ou com homossexuais que você julga melhor que este não o serão para mim, entende? Opinião, cada um tem a sua… Sem falar que realmente essa não é a questão do texto acima!

      No mais, o mercado tem e deve possuir livre concorrência e jamais uma empresa deve utilizar de seu poderio econômico para forçar (em contrato) o que deve ou não deve ser autorado em blu-ray ou fabricado o que quer seja aqui no Brasil. Começou com Azul é a Cor mais Quente. Amanhã pode ser com um video-game, um carro ou outro produto qualquer. Isso acaba caindo para concorrência desleal, onde uma empresa pequena (ou que ofereça produtos polêmicos ou que ofendam classes políticas/religiosas) será impedida de crescer por empresas/partidos políticos/religiões que ditam o que deve ser feito. E isso é inadmissível!

    • joaohrm

      Muito interessante a sua opinião amigo, infelizmente tem pessoas que querem respeito e não sabem respeitar os outros, e a desculpa esfarrapada é que seu comentário não tem relação com a matéria.

      O filme é polêmico sim, se vocês não sabem argumentar com pessoas de diferentes opiniões não deveriam nem acessar a internet.

      • antonyvanov

        E a sua desculpa esfarrapada é de que "não sabem argumentar com pessoas de diferentes opiniões". Vote aqui quando aprender o significado da palavra CONTEXTO.

        • joaohrm

          Votar onde?

          • antonyvanov

            Hahaha, em lugar nenhum. Bem-vindo à terra onde velocidade e eventuais erros de digitação se encontram com frequência.

    • cenatosouza

      Seguindo essa lógica:

      Sobre Her
      Se a intenção é se apaixonar pela Scarlet, temos vários os Vingadores, que pelo menos ela aparece.

      Sobre Star Wars
      Se a intenção é ver corrida de veículos, temos o doc. do Sena.

      Sobre Doze Anos de Escravidao:
      Se é pra ver um filme com negros, vejam Shaft.

      • dbenaglia

        E pior de tudo é que ele ainda insiste em dizer q ta certo em sua Infeliz e idiota, porem a sua opinião. caramba o assunto é sobre censura, caso gravíssimo e o cara me vem com que o filme é fraco e bla, bla…. Cada uma.

  • ericbernardino

    até hoje agora mesmo que em dvd a serie QUEER AS FOLK!

  • ronaldotokuno

    Ah, se fosse só esse filme a não sair em Blu-ray no Brasil, era fácil dar um jeito. Tem tantos outros que faltam sair por aqui ainda…

    • andersondabio

      Por problema de censura?

      • ronaldotokuno

        Não sei. É? Sabe, ando meio sem tempo para pesquisar por aí se é por causa disso ou daquilo. Só sei que não saiu. Pode verificar pra mim, por favor?

        • Jucier_Mozzy

          Há os que morrem de causa natural e há os que morrem assassinados. Mortes distintas.

          Mas, isso nem deve te interessar. Porque o que deve ser realmente importante é nosso nível de deboche. Claro, pra você, mais o teu do que o meu. E como tu mesmo disseste, andas sem tempo.

          • ronaldotokuno

            Tanto os que morrem de causa natural como os que morrem assassinados possuem o mesmo fim: morte.

            • antonyvanov

              O que está sendo discutido aqui não é o fim e sim o motivo que levou a ele.

              • ronaldotokuno

                Pois é. Só fiz um comentário de que esse é só mais um filme a não ser lançado aqui. Independentemente de censura ou qualquer outra razão, o Brasil é um país desprivilegiado com relação a Blu-ray. Eu queria ver Breaking Bad, por exemplo. Mas, terei de assistir sem PT. Realmente, tenho de me ater à especificidade de censura como justificativa de um não lançamento em um singelo comentário? Acho que não.

  • lgmaranhaos

    Eu não gosto da temática do filme porém acredito que quem gostou tenha o direito de adquiri-lo.
    Convenhamos que dois pesos e duas medidas é o fim, não é?

  • Se o problema do filme não ser lançado em alta definição for a temática, realmente é lamentável, mas creio que esse preconceito vem enrustido de um receio de prejuízo, na visão mercadológica deles eles devem acreditar, que por ter uma temática, ainda dita como "polêmica" e não conter uma censura (já que é voltado para maiores de 18) acreditam que o filme venha a "encalhar", em vista que o preço do Blu-Ray, geralmente é mais caro que o DVD (que no Brasil ainda é uma mídia popular e dominante) e futuramente não ter que vende-lo em promoções ou pelo preço de R$: 12,90 o que acontece com "O segredo de Brockback Mountain" (não sei se de fato é este o motivo, nesse filme em questão, mas como tem a temática semelhante, cito como exemplo).

    • rf_victor

      Mas a replicadora recebe para fabricar os discos, sendo paga pela Imovision… Se vender ou não vender o problema não é dela, certo?

      • angmax

        rf_victor, nesse caso a replicadora considera que o conteúdo do filme é inadequado, e eles têm o direito de recusar, já que não existe lei que obrigue uma empresa a aceitar um contrato, solicitado por outra empresa. O código do consumidor só poderia ser aplicado se a relação fosse consumidor-empresa, o que não é o caso.

        • rf_victor

          Sim, eu respondi sobre a hipótese da replicadora recusar o trabalho por medo do BD encalhar. Se o BD encalhar o problema é da Imovision, que acaba com o estoque parado em suas mãos, já tendo pago a replicadora por ele… Certo? É como uma gráfica, eu imagino. O encalhe não é problema da replicadora.

          • angmax

            Exatamente, a replicadora não tem responsabilidade com as vendas do produto, isso cabe à distribuidora. Porém, como eu disse, a replicadora pode recusar um pedido de replicação de discos, desde que não haja um contrato vigente, infelizmente.

            • rf_victor

              Sim, isso eu sei. O duro é o filme ter recebido normalmente o selo de classificação "18 anos" dentro das normas de classificação indicativa do país e ser recusado, enquanto outros filmes 18 anos são replicados normalmente. Fica claro demais o motivo da recusa. É como se várias pessoas de cabelo colorido (azul?) fossem admitidas em uma balada, e o gay de cabelo azul fosse barrado por ter cabelo azul, e a casa dissesse que "tem o direito de determinar quem pode ou não ser o seu cliente com base em códigos de vestuário e estética"… ; )

            • antonyvanov

              A lei permite a recusa sim, mas se for possível provar (leia-se: convencer um juiz) que o MOTIVO da recusa foi por preconceito, a replicadora se fode, assim como no crime de racismo.

              Opa… esqueci que no Brasil ainda não há uma lei que reconheça preconceito contra homossexuais como preconceito.

              • rf_victor

                Hehe, pois é, outro dia eu estava discutindo isso por aí e também esqueci. : p Triste!

  • angmax

    Para mim está claro: as replicadoras estão se recusando por se tratar de um filme com conteúdo homossexual, nada tem a ver com cenas de sexo, pois muitos são os filmes que foram lançados em blu-ray contendo cenas de sexo. Isso, infelizmente, é um pensamento medieval que merece total repúdio. Não vi o filme e não sei se irei ver, mas torço para que a Imovision consiga encontrar uma empresa que renegue esse pensamento.

    • dezraj

      Sem falar no desvio absurdo que foi feito de "cenas de sexo" para "cenas pornográficas", recomendando até mesmo a produtora a procurar uma empresa "mais adequada", em outras palavras, uma empresa do ramo pornográfico.

      A lógica é:

      cenas de sexo hétero = arte = permitido
      cenas de sexo gay/lésbico = pornografia = não-arte = proibido.

  • TheMax

    Todo mundo falando de homofobia mas, será que não é por mostrar cenas de sexo entre menores de idade?

    Afinal, o filme é um prato cheio para olhos de pedófilos

    • antonyvanov

      As atrizes já eram maiores de idade na época das filmagens.

  • jcdugo

    Uma dúvida , no Brasil somente Sony DADC, AMZ e Sonopress replicam Blu-ray ??

    • Jhapinha

      jcdugo,

      Pelo menos eu só conheço estas empresas…

  • Jhapinha

    pelo menos AQUI NO BRASIL JÁ CONSEGUIRAM MUDAR O NOME DO FILME…
    de ..azul é a cor mais quente para AZUL É A COR MAIS POLÊMICA !!!

  • Talvez tudo isso seja conversa, ano passado a Imovision lançou o excelente Amour, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, e que foi bem conceituado pela crítica e pública, apenas em DVD, todos se perguntaram quando chegaria o Blu-ray, e até agora nada!

  • PedreirodoHawai

    Criando polêmica pra faturar mais, muuuito mais! Simples assim.

  • Francis_Mariani

    Isso é apenas polêmica pra valorizar o filme.

    Eu o baixei na internet e não gostei.
    O foco não está no romance entre as duas, definitivamente não.

    • ronaldotokuno

      Tem razão, amigo. Eu nunca ouvi falar nesse filme antes deste post.

    • dbenaglia

      Ta serto, intendeu tuddiimho…

  • GabrielPila

    Não sei o pq dessa atitude, mas espero que com toda essa repercussão eles enfim acabem lançando esse filme em versão blu ray.. a única opção disponível no momento é a amazon americana, e la o filme, com impostos, sai por quase 150 reais.. na amazon uk, apesar de um pouco mais barato, a região é B.. aliás, aqui no Brasil não lançam quase NADA de filmes europeus em blu ray, na maioria das vezes nem em dvd! quando passeio pelas lojas virtuais la de fora da uma inveja, lá eles lançam td..

  • GabrielPila

    Bom, achei na Barnes and Noble por 19,90, mais 9,90 de frete, sem imposto antecipado.. acabei comprando, apesar que as entregas de lá sempre demoram muito pra chegar em casa.. pelo menos é a linda versão da Criterion, não creio que vá achar por muito menos..

  • Alexandre_Jr

    Sei lá se é para polemizar. Minha dúvida é se isso não é uma questão legal aqui no Brasil – apesar do DVD lançado, como disseram. Está no post: "…uma garota de 15 anos que se apaixona por Emma…". Em rápida pesquisa: Adèle Exarchopoulos: nascimento: 22/11/1993. No lançamento do filme (2013) contava com 20 anos. Porém, li que à época ela tinha 18 anos, quando realizou as cenas de sexo. Estatuto da Criança e do Adolescente: arts. 2º e 241-B: pena de reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa.

    • Alexandre_Jr

      Dúvida sanada. Li há pouco: “Usávamos uma pequena prótese”, disse ao Correio da Manhã de Lisboa. “Tínhamos vaginas falsas… usávamos uma fina membrana de silicone, um molde com a forma de uma vagina. Era um acessório perfeito, um verdadeiro efeito especial… Pode parecer um pouco chocante, mas para nós chegava a ser cansativo.” Adèle afirma que Kechiche gosta de improvisar. “Ele queria que a gente vivesse o papel. Foi uma experiência ultrarrealista. Sou como irmã de Léa, então as cenas de sexo não teriam sido difíceis de fazer, não fosse o perfeccionismo de Kechiche. Léa ficou mais chateada do que eu.”

  • chbossan

    hehehehe, já baixei o filme, asssiti e não vi nada de mais, na novela das 9 tem coisa muito pior

  • Aparentemente o Ninfomaníaca vai passar pelo mesmo problema: http://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2014/03

  • marceloardias

    Vi o filme pelo NOW da Net e não achei nada demais.