CARAY! Sony bagunça o relançamento de Hellboy em Blu-ray!

Parece brincadeira, mas a todo momento surge uma bizarrice no mercado nacional de home video. A mais recente vítima é o Blu-ray de Hellboy, lançado inicialmente em 2008 pela Sony e, depois de sumir por um tempo, ser relançado recentemente, já pela dupla Fox-Sony. É a respeito das diferenças entre a tiragem inicial e a nova replicação que falaremos neste artigo.

Hellboy – lançamento original

Já era de conhecimento da maioria dos colecionadores que o release original trazia apenas a versão de cinema do filme, apesar de estar impresso Director’s Cut no disco. Sendo um título lançado antes da replicação nacional, as mídias eram fabricadas nos EUA e apenas a impressão das capas e a fabricação dos estojos era feita no Brasil:

Vejam que a duração do filme é de 122 minutos, consistente com a Versão de Cinema:

Outro detalhe é que esta primeira edição vinha com o áudio original em Dolby TrueHD 5.1, além da dublagem em português em Dolby Digital, como podemos ver abaixo:

A contracapa era coerente com o conteúdo do disco, indicando corretamente a duração do filme e os áudios presentes:

Hellboy – relançamento

Neste relançamento, os discos são replicados no Brasil (pela Sony DADC). Ao contrário da edição anterior, não há o texto Director’s Cut, mas a duração de 122 minutos está impressa no rótulo:

Entretanto, ao colocar o disco no player, se pode ver que a duração do filme é de 132 minutos; ou seja, é a Versão do Diretor:

Outra diferença: o áudio original é PCM 5.1 Sem Compressão e a dublagem brasileira não está presente no disco.

Até aí nenhum problema, certo? Pois bem: saibam que, apesar da diferença no corte do filme, do codec utilizado no áudio em inglês e da ausência da trilha em português, as informações da contracapa são exatamente as mesmas da edição original:

A única diferença está nas letras miúdas: na edição original, o fabricante é a extinta Videolar; na nova, a Sony DADC.

Para facilitar, segue um resumo das diferenças entre as edições:

Edição original

Reedição

Rótulo do disco

Director’s Cut

Nenhum

Corte presente no disco

Versão de Cinema

(122 minutos)

Versão do Diretor

(132 minutos)

Áudio original

Dolby TrueHD 5.1

LPCM 5.1

Dublagem em português

Presente

Ausente

Procedência da mídia

Internacional

Nacional

Fabricante

Videolar

Sony DADC

Podemos concluir que existe um problema sério de rotulagem nesta nova prensagem, violando o Art. 31 do Código de Defesa do Consumidor, que assegura ao consumidor o direito de receber informações corretas, claras e precisas em quaisquer produtos que venha a adquirir.

Do jeito que está, é muito difícil ao consumidor saber exatamente qual produto está levando para casa, lesando aqueles que fazem questão de possuírem os vários cortes do filme ou que exigem a dublagem em português. Quem comprar o Blu-ray agora provavelmente receberá a edição mais nova, mas é possível que unidades da edição original ainda restem em alguns estoques, tornando a compra em lojas online uma verdadeira loteria.

Até o momento de publicação desta postagem, a Fox-Sony não se pronunciou a respeito deste problema. Surgindo alguma novidade, atualizaremos este post. Até lá, é possível trocar informações a respeito neste tópico do Fórum BJC.

[Agradecimentos ao membro do FBJC williambusa por informar o ocorrido e fornecer as fotos que ilustram este post]

Link para SteelBooks com PT-BR nas Amazons:

Categorias: Blu-rayProtestos

Tags: , ,

Sobre o autor

Alexandre Prestes era rato de locadora nos anos 80 e nunca se animou a comprar VHS por ser uma mídia de baixa durabilidade. Fã incondicional da boa música, iniciou em 2003 sua coleção com DVDs musicais; só a partir de 2005 passou a comprar filmes e séries. 2009 foi o ano no qual começou a colecionar filmes em Blu-ray, sendo um entusiasta do formato. A coleção continua crescendo (e o espaço diminuindo), cada vez mais a favor de títulos com maior qualidade técnica e fartura de material adicional.