CARAY! Blu-ray 2D/3D de Valente não tem áudio em HD no Brasil!

Parece que a nova moda das majors no Brasil é seguir o padrão nanico de lançar Blu-rays sem áudio original HD. Já vimos que O Espetacular Homem-Aranha teve a faixa DTS-HD Master Audio em inglês trocada por uma Dolby Digital tradicional no disco 3D lançado pela Sony (ao menos a versão 2D escapou desta triste sina). Pelo visto, a Disney ficou com ~inveja~ e resolveu aprontar uma lambança maior ainda, desta vez com a animação da Pixar Valente.

O usuário Chalice postou no Fórum BJC fotos do combo Blu-ray 3D+2D adquirido no Submarino, onde se pode ver que as faixas de áudio, em ambos os discos, são as seguintes:

  • Inglês Dolby Digital Plus 7.1
  • Inglês Dolby Digital 5.1
  • Português Dolby Digital 5.1
  • Inglês Dolby Digital 2.0

A prova do crime.

Para quem não sabe, Dolby Digital Plus é um formato de áudio similar ao Dolby Digital tradicional, mas estendido para suportar uma taxa de bitrate mais elevada e uma quantidade maior de canais. É utilizado em mídias de alta definição (como HD-DVD e Blu-ray) quando o espaço livre no disco não comporta uma trilha sem perdas como Dolby TrueHD ou DTS-HD MA. Ou seja: embora seja superior às trilhas Dolby Digital (usadas comumente nos DVDs), ainda é um formato com perdas e não se compara em qualidade sonora aos formatos lossless.

Antes que alguém afirme que é bobagem reclamar deste tipo de coisa, lembre-se que um dos argumentos de venda do Blu-ray não é só ter a imagem em 1080p, mas também áudio HD de qualidade. Quem compra um Blu-ray paga mais caro para ter imagem e som em alta definição; remover um dos fatores da equação prejudica o resultado final. Se este argumento não convencer, então pense no seguinte: por que nós brasileiros temos um produto inferior ao vendido lá fora?

Sim, porque as edições estrangeiras de Valente receberam áudio em inglês Dolby TrueHD 7.1! Qual seria o motivo da Disney do Brasil fazer um encode inferior de uma faixa que ganhou nota máxima no Blu-ray.com? Ao contrário d’O Espetacular Homem-Aranha, as versões 3D e 2D estão em discos separados, então não há o problema de falta de espaço que surge quando se colocam ambas as versões em um único disco. Seria para economizar uma mídia BD-50 e colocar os extras no mesmo disco do filme? Também não, pois existe uma versão dupla com o Blu-ray 2D + disco de extras (o combo 3D/2D vem com pouquíssimos extras). No fim, só resta uma explicação: pura incompetência da Disney, ao permitir que o disco fosse autorado desta maneira.

Nos EUA, se paga o equivalente a R$ 60 por uma edição completa com 3 BDs (3D, 2D e extras) e 2 DVDs (filme e cópia digital), além de uma sobrecapa. Aqui no Brasil, somos obrigados a comprar 2 edições sem luva (o combo 3D+2D e a edição dupla em BD), pagando um total de R$ 150, para termos algo similar em termos de conteúdo (e ainda temos que desconsiderar o DVD e a cópia digital). Como se isso não fosse ruim o suficiente, ainda temos que conviver, sem um motivo claro, com trilhas de áudio inferiores nas edições nacionais. A Disney realmente está jogando firme na disputa pelo posto de pior produtora do Brasil.

Mais uma vez, abaixo o contato do SAC da Disney na Arvato/Sonopress para dirigir as reclamações:

Já faz parte do nosso grupo no Facebook? Lá tem dicas e muita coisa legal! icon_biggrin.gif

grupo-facebook.jpg

Categorias: Blu-rayNotíciasProtestos

Tags: , , ,

Sobre o autor

Alexandre Prestes era rato de locadora nos anos 80 e nunca se animou a comprar VHS por ser uma mídia de baixa durabilidade. Fã incondicional da boa música, iniciou em 2003 sua coleção com DVDs musicais; só a partir de 2005 passou a comprar filmes e séries. 2009 foi o ano no qual começou a colecionar filmes em Blu-ray, sendo um entusiasta do formato. A coleção continua crescendo (e o espaço diminuindo), cada vez mais a favor de títulos com maior qualidade técnica e fartura de material adicional.