BD Resenha: Jackie Brown (Brasil)


Jackie Brown
é um dos filmes mais subestimados do cineasta Quentin Tarantino. Mesmo na época de seu lançamento (1997), as críticas foram menos efusivas do que as dadas às suas obras anteriores (e posteriores também). Talvez isto tenha ocorrido porque Jackie Brown é um filme mais convencional se comparado a Pulp Fiction ou Kill Bill, provavelmente por ser um roteiro adaptado (do livro Rum Punch, de Elmore Leonard), dando menos espaço para as loucuras tarantinescas de sempre. Jackie Brown pode até ser uma obra mais suave e romântica do diretor, mas não deixa de ser um Tarantino típico, com ótimas sacadas narrativas e visuais.

O tratamento de Jackie Brown em home vídeo no Brasil não foi dos melhores. Foi lançado inicialmente em VHS pela Paris Filmes, já no fim do ciclo do formato (1998~99). Em 2006, Jackie Brown recebeu sua primeira edição em DVD pela Imagem Filmes, em um título tecnicamente fraco, com imagem mutilada em 4×3 Fullscreen e poucos extras (algumas entrevistas, uma galeria de fotos e outros “extras” em texto). Dada a época em que foi lançado, era esperado que o DVD seguisse este padrão rental, mas sempre se esperou uma edição melhor para o futuro. Isto só foi acontecer 6 longos anos depois.

Sempre se achou que a Disney seria responsável por lançar uma edição decente deste filme. Entretanto, com a venda da Miramax (produtora do filme) em 2010, a Disney deixou de comercializar os títulos deste estúdio. Assim, a responsabilidade de lançar o catálogo de filmes ficou na mão de outras empresas: a Lionsgate, nos Estados Unidos e a Imagem Filmes, no Brasil. No caso de Jackie Brown, a Imagem Filmes relançaria (no dia 19 de abril deste ano) o DVD em uma nova edição, com imagem em seu aspecto original e novos extras, além de uma edição inédita em Blu-ray.

Dado o retrospecto negativo da produtora, com suas mutilações de imagem, substituição das trilhas DTS-HD Master Audio por DTS-HD High Resolution (de qualidade inferior) para poder utilizar mídias camadas simples e ausência de extras em seus produtos, muitos colecionadores ficaram ressabiados (inclusive este que vos escreve) com a notícia. Porém, após um bom início com Pulp Fiction, reacenderam as esperanças de termos um produto de qualidade em mãos. Para descobrirmos se este Blu-ray da Imagem Filmes faz jus ao formato, faremos uma análise minuciosa do produto, comparando-o com a boa edição lançada lá fora pela Lionsgate.

Informações técnicas

Em preto, os dados do BD nacional; em vermelho, os dados do BD americano:

Disco:

  • Formato: BD-50
  • Região: ABC (A)
  • Espaço ocupado (total): 43.118.225.435 bytes (40,16 GB) [49.283.946.158 bytes (45,90 GB)]
  • Bitrate total do disco: 28,26 Mbps (29,68 Mbps)

Vídeo:

  • Aspect ratio: 1.85:1
  • Codec: MPEG-4 AVC
  • Duração: 2:34:25.714 (2:34:25.756) (h:min:s.ms)
  • Capítulos: 12 (16)
  • Espaço ocupado (filme): 32.728.657.920 (30,48 GB) [34.377.086.976 (32,02 GB)]
  • Bitrate de vídeo: 24,805 Mbps (23,987 Mbps)
  • Gráfico de bitrate:

Áudio:

Idioma

Codec

Bitrate

Canais / Amostragem
Inglês DTS-HD Master Audio 1899 kbps 5.1 / 48 kHz / 16-bit
DTS Core: 5.1 / 48 kHz / 1509 kbps / 16-bit
Inglês DTS-HD Master Audio 3911 kbps 5.1 / 48 kHz / 24-bit
DTS Core: 5.1 / 48 kHz / 1509 kbps / 24-bit

Legendas:

  • Português (bitrate: 31,942 kbps)
  • Inglês (bitrate: 42,806 kbps) (bitrate: 65,794 kbps)

No BD americano, ainda temos:

  • Inglês SDH (bitrate: 78,172 kbps)
  • Espanhol (bitrate: 59,580 kbps)
  • Trívia (Inglês) (bitrate: 34,508 kbps)

Apresentação

Jackie Brown chega em um estojo Amaray HD Case comum, sem arte interna. Não é exatamente o que o colecionador espera, mas é o padrão da empresa. Porém, não se enganem achando que lá fora é melhor: neste aspecto, não há muita diferença entre a edição brasileira e a americana. Esta é igualmente espartana; além de não possuir arte interna, possui a desvantagem de vir em um estojo Viva Elite Eco Case, que é extremamente molenga.

Vejam como é a embalagem deste título:

A capa é idêntica à da edição americana, tanto na arte quanto na diagramação (só fica a pergunta: onde foi parar o pingo no “i” em Jackie?). Na contracapa, alguns erros: embora esteja descrita a presença de áudio Inglês Dolby Digital 5.1, esta faixa não está presente no disco; na sinopse, lemos que Jackie Brown é funcionária de uma companhia área (em vez de aérea). Faltou um pouco mais de atenção aos detalhes.

O disco é replicado pela Sonopress (parece que finalmente começaram a replicar Blu-rays) e a impressão é lisa e com boa definição, no mesmo nível da edição americana (que é ligeiramente superior na resolução da imagem). Por sinal, a imagem utilizada nas duas edições é exatamente a mesma (exceto o pingo no “i”, que sumiu sabe-se lá por quê):

Autoração

A autoração foi feita pela ETC Filmes e foi bem executada. Após o aviso de copyright costumeiro e do logotipo da Imagem Filmes (ambos com boa definição), entramos no menu raiz. Este tem um visual bem interessante, que casa bem com a proposta do filme. Não foram encontrados problemas nos  itens do menu nem nos loops. O menu popup utiliza o mesmo overlay do menu principal e também funciona com precisão. Ficou faltando apenas a utilização dos recursos mais avançados que o Blu-ray permite (como o BD-Java, usado no BD americano) para ganhar uma nota maior.

[ATUALIZAÇÃO] Fui informado, após a publicação desta resenha, da existência de um frame drop na imagem. Esta falha, que gera uma quadriculação na imagem de pouco menos de um segundo, acontece durante a apresentação dos créditos, no momento em que surge o nome do Diretor de Fotografia Guillermo Navarro. Justamente por ser muito rápido, não pude perceber o defeito durante a avaliação, mas como ele existe, sou obrigado a reportá-lo. Além disso, diminuí um jotinha da nota da autoração, pois este tipo de problema, mesmo não sendo muito grave, deveria ter sido sanado nesta etapa.

Vídeo

Temos uma transferência 1080p no aspecto correto de 1:85 e codificada em AVC. A duração é de 154 minutos, que indica o corte original, sem mutilações. O disco é BD-50 e está destravado para todas as regiões. Até o momento, a edição brasileira segue a americana lado a lado (com a exceção do travamento do disco em A nesta edição), mas a qualidade de imagem será do mesmo nível?

A transferência da edição americana foi supervisionada pelo próprio Tarantino e tem um nível de detalhe impressionante nas cenas em close. Os tons das cores estão muito bons e a profundidade do preto também. Se pode haver alguma queixa, vai para o ligeiro edge enhancement em uma cena ou outra, além das cenas abertas serem mais soft, principalmente se comparadas aos cloeses. No geral, para um filme de mais de 10 anos, é um excelente resultado.

O que foi dito até agora serve perfeitamente para a edição brasileira. Aparentemente, a master utilizada no Blu-ray da Imagem Filmes parece ser a mesma do BD da Lionsgate, pois não há diferença perceptível entre as duas. Portanto, respondendo à pergunta feita dois parágrafos atrás, sim, a imagem da edição brasileira está no mesmo nível da edição estadunidense.

A título de ilustração, seguem algumas capturas (lembrando que são em JPEG com perdas e não representam a qualidade real da imagem; cliquem para ampliar):

Edição brasileira

Edição americana

Edição brasileira

Edição americana

Edição brasileira

Edição americana

Edição brasileira

Edição americana

Edição brasileira

Edição americana

Áudio

Ao contrário do que diz a contracapa, Jackie Brown vem apenas com uma trilha de áudio: original em inglês, codificada em DTS-HD Master Audio 5.1 canais. A qualidade da faixa é muito boa; sendo um filme calcado nos diálogos, o canal central é o mais utilizado. Neste ponto, tudo perfeito, com bastante claridade e ausência de distorções, permitindo ao espectador acompanhar as conversas com tranquilidade. O surround é utilizado mais para ambiência (música e efeitos sonoros) e funciona a contento. Nas poucas cenas com mais ação, o subwoofer mostra sua presença.

Comparando com a edição americana (que também possui apenas uma faixa em inglês DTS-HD MA 5.1), a nacional é ligeiramente inferior, por utilizar 16 bits por amostra (contra os 24 bits da faixa americana). Com menos informações (perceptíveis no valor de bitrate), perde-se um pouco do nível de detalhe do som. É claro que apenas os ouvidos mais apurados (e os possuidores de equipamentos de ponta) sentirão esta diferença, mas cabe o registro.

Outro porém: a inexistência da trilha em português, que estava presente no lançamento original em DVD. Não sei qual é o motivo para esta ausência (ainda havia espaço em disco para comportar uma mera trilha Dolby Digital 2.0), mas uma coisa é garantida: os fãs de dublagem irão reclamar da falta desta opção.

Legendas

Temos apenas legendas em português e inglês, suficientes para o nosso mercado. As fontes usadas são de bom tamanho e permitem uma boa leitura. Não percebi problemas de sincronismo nem falta de legendagem em alguns trechos. Em termos de tradução, muito bom trabalho. Ao contrário do que normalmente se faz, os palavrões não são totalmente suprimidos, embora a quantidade seja diminuída em relação ao que realmente é dito.

Nos extras, também há legendas em todo o material. Salvo uma expressão ou outra que é traduzida de modo inapropriado (p.ex., beach bunny traduzido como noinha caiçara, ou então coolest, que virou mais irado), o trabalho está bem feito.

Comparando com a edição americana, a legibilidade das legendas é melhor. Esta edição tem legendas em inglês (diferentes das que vêm no disco brasileiro), inglês SDH (para deficientes auditivos), espanhol e uma trivia track em inglês, com curiosidades a respeito do filme. Bem que a edição da Imagem poderia ter vindo com uma versão em português desta faixa.

Para comparação, seguem abaixo capturas para a visualização das legendas (clique para ampliar):

Edição brasileira - legendas em português

Edição brasileira - legendas em inglês

Edição americana - legendas em inglês

Edição americana - legendas em inglês SDH

Edição americana - legendas em espanhol

Edição americana - trivia track

Extras

Temos aqui uma boa quantidade de material suplementar, tudo absolutamente legendado. Os extras presentes são (todos em SD, salvo indicação contrária):

  • Sobre Jackie Brown: único extra em HD, é uma mesa redonda de 44 minutos com os críticos Elvis Mitchell, Scott Foundas, Stephanie Zacharek, Tim Lucas e Andy Klein falando sobre o filme. Uma interessante troca de opiniões.

  • Jackie Brown: Como Tudo Aconteceu: documentário de 2002, com entrevistas e cenas de bastidores. Com 39 minutos de duração, é aquela puxação de saco de sempre que se vê neste tipo de extra.
  • Voltando à Jackie Brown: entrevista de 55 minutos com o diretor Quentin Tarantino. Impressionante ver como ele é uma pessoa absolutamente elétrica e como ama cinema; vale à pena assistir.
  • Cenas Deletadas e Alternativas: temos uma introdução de Quentin Tarantino, a versão estendida da cena de Jackie e Sheronda, duas cenas deletadas (Louis e Ordell entrando no saguão do Cockatoo Bar e Jackie tramando contra Ordell), um improviso de Michael Keaton e Pam Grier, um take alternativo para a cena “For Your Eyes Only”e uma sequência alternativa para os créditos iniciais (na verdade, uma brincadeira com a atriz principal). Servem mais como curiosidade;
  • Siskel & Ebert no Cinema: os renomados críticos Gene Siskel e Roger Ebert fazem um review rápido (pouco menos de 5 minutos) do filme;
  • Jackie Brown Ao Vivo na MTV: especial de 14 minutos da MTV, com o diretor Quentin Tarantino e as atrizes Bridget Fonda e Pam Grier;
  • Promos de Jackie Brown ao Vivo na MTV: o extra mais dispensável do disco, com Quentin Tarantino, Bridget Fonda e Pam Grier promovendo um concurso na MTV.

Comparando com a edição da Lionsgate, a edição da Imagem Filmes ficou devendo alguns extras, a saber (todos em SD e sem legendas):

  • Vídeo “Chicks Who Love Guns”: o infame vídeo que Ordell Robbie assiste na televisão, mostrando garotas de biquíni atirando com armas de fogo;
  • Galeria de Marketing: 3 trailers e 8 spots de TV, totalizando quase 8 minutos;
  • Galeria de Fotos: fotos de pôsteres, fotos promocionais, fotos de bastidores e até fotos de itens como bonecos e relógios temáticos. São muitas, muitas fotos;
  • Trivia Track: a já citada trilha de legendas com curiosidades a respeito do filme;
  • Soundtrack Chapters: bookmarks direcionando para as músicas que tocam no filme;
  • Trailers de Robert Forster: quase meia hora de trailers antigos de filmes estrelados por Robert Forster;
  • Trailers de Pam Grier: similar ao extra anterior, mas focando a atriz Pam Grier. São quase 40 minutos de trailers, incluindo clássicos como Coffy e Foxy Brown. Um deleite para fãs de WIP e blaxploitation;
  • Spots de rádio com Pam Grier: é a versão em áudio do extra anterior, com spots de rádio promovendo filmes estrelados por Pam Grier.

Como podem ver, são extras de menor relevância; destes, só fazem falta o “Chicks Who Love Guns” (pelo fator trash da coisa) e a faixa de trívia (ocupa pouco espaço e traz muita informação).

Avaliação geral

Surpreendentemente, a Imagem Filmes entrega um Blu-ray digno do formato. Trazendo uma edição com grande qualidade de imagem e som, sem economia mesquinha de mídia, bem autorado e com uma boa quantidade de extras, Jackie Brown recebeu finalmente o tratamento que merecia. Ficou devendo apenas a dublagem em português e alguns extras menores presentes na edição americana. Também poderia ter investido mais na apresentação: uma luva (ou, pelo menos, arte interna) valorizaria o produto e torná-lo-ia mais interessante aos olhos do colecionador.

O maior demérito da edição reside no calcanhar de Aquiles da Imagem Filmes: revisão das artes. Erros tolos de rotulagem (como anunciar uma trilha de áudio inexistente e a palavra errada na sinopse) poderiam sido facilmente evitados com uma inspeção de 5 minutos antes de enviar o material para a gráfica. Não é a primeira vez que isso ocorre e já era tempo da empresa tentar minimizar este tipo de falha. Todavia, tais deslizes não são suficientes para desbancar os pontos positivos desta edição.

Os mais exigentes (e fluentes em inglês) poderão preferir a edição americana pelos extras a mais e pela ligeira superioridade técnica, mas quem optar pela edição brasileira não faz um mau negócio. Recomendado!

 

Jackie Brown em Blu-ray na Saraiva:

http://jotace.me/jackiebrown-bd

Jackie Brown em Blu-ray nas Amazons (sem PT-BR):

Categorias: Blu-rayResenhas

Tags: , ,

Sobre o autor

Alexandre Prestes era rato de locadora nos anos 80 e nunca se animou a comprar VHS por ser uma mídia de baixa durabilidade. Fã incondicional da boa música, iniciou em 2003 sua coleção com DVDs musicais; só a partir de 2005 passou a comprar filmes e séries. 2009 foi o ano no qual começou a colecionar filmes em Blu-ray, sendo um entusiasta do formato. A coleção continua crescendo (e o espaço diminuindo), cada vez mais a favor de títulos com maior qualidade técnica e fartura de material adicional.
  • Átila Santos

    Que surpresa, parece que a edição realmente é boa! E valeu pela resenha, super completa. Excelente!

    Valeu Alexandre! 😀

  • BelotoCabral

    Já estou gostando muito destas resenhas! São ótimas e muito completas! Continuem!!! 😀

  • Juarezrocha

    Ótima resenha, muito esclarecedor.
    Parabéns!

  • Estéfano Souza

    Mais uma ótima resenha aqui no BJC. Confesso que ainda não vi "Jackie Brown" e com esta resenha, fiquei interessado em comprar o Blu-Ray "made in Brazil".

  • CPTBENNYDAVID

    Não é o melhor dos Tarantinos da vida, mas com certeza merece uma edição decente como esta, altamente colecionável mesmo sem o restante dos extras.

  • Victor Ramos

    Excelente resenha, mesmo. Muito informativa, como deve ser.

    Ah, e gostaria de fazer um pedido a vocês. Será que poderiam "arrancar" algumas informações da Imagem Filmes, e fazer uma matéria sobre o blu-ray de Drive? Sei que essa curiosidade não é só minha, mas de muitos admiradores do filme, que é um dos maiores (se não o maior) de seu ano Sinceramente, temo pelo que a Imagem Filmes fará com Drive. A previsão é para o dia 9 e até agora não encontrei nenhuma informação sobre a edição que sairá… 🙁

  • gpieri

    Incrível! nada está errado demais!

  • Já sou fã dessas resenhas. Excelente análise do BD.

  • felipethom

    Mas se esse filme que está nas mãos da Miramax e foi lançado aqui no Brasil pela Image, podemos prever que o mesmo acontecerá com o BD de "O Corvo"?

  • O problema maior das edições americanas da Lionsgate são aqueles estojos eco-friendly péssimos. Trocassem ao menos isso e já nem pediria por arte interna ou luva. Da edição nacional, é bom ver que é bem realizada, mas a Imagem ainda não me faz comprar filmes dela.

  • Renan

    Gostei da ediçao Brazuca. Desta vez a imagem merece os parabens

  • Jucier_Mozzy

    Excelente resenha.

    Comprarei mesmo com a ausência do "pingo" da letra "i". 😉

  • Willian298

    alguém sabe me dizer se o dvd que foi lançado simultaneamente com o bd possui a dublagem???? e se o formato de tela está correto????

  • robsoncps

    sei lá, eu assisti a esse filme me dvd há muito tempo atrás e achei apenas mediano e tedioso. Numa promoção de 14,90 eu até compraria, mais do que isso jamais.

  • ziegler

    Pergunta boba, mas porque o povo da Imagem Filmes cortou o PINGO do I no título?? Vejam depois abaixo as edições americanas…. Tá bom, pequeno detalhe, mas porque mexer nisso? rs

    • robsoncps

      nossa, jamais repararia nisso, mas foi boa sacada, eu queria o pingo no i tb.

  • Ótima resenha, Ing. E curti a captura da Bridget. ^^

  • Nelson_bjc

    Jackie Brown foi filmado em open matte. No DVD antigo da Imagem Filmes o corte nas laterais da imagem é mínimo, então não se pode falar em mutilação neste caso. Para a edição em widescreen foram feitos cortes em cima e embaixo bem mais radicais. Mutilaram a bunda da Bridget Fonda. Isso é uma vergonha.
    Uma pena que não tenha a dublagem. Seria um incentivo a mais para comprar. Também notei que o BD nacional tem menos granulação na imagem, sabe-se se lá porque. Assim vou passar batido em mais um BD da Imagem Filmes a não ser que baixe muuuuuuito de preço.

  • rafazeppelin

    Taí! Gosto desse tipo de resenha. Bem completa! Sei que dá mais trabalho, mas é pq se limitar só a falar da embalagem dos blu-rays não é tão interessante. Abraços e parabéns!

  • exdown

    lancem mais resenhas sei que deve ser complicado e demorado reunir essas informações mas é muito esclarecedor
    sei que não vai virar um bluray.com em termos de quantidade mas a qualidade das resenhas não deixa em nada a desejar

  • mathmss

    Ótima edição mesmo!
    Eu percebi que na comparação entra as capturas, a brasileira tende a ser um pouco mais escura que a americana.

  • jcdugo

    Qual o software (s) foram utilizados para medir os aspectos técnicos ?
    1 abraço

  • ARREMATE

    jackie brown em bluray não pode faltar na coleção né meu!!!