Resenha DVD/CD/Blu-ray – Simply Red Farewell: Live in Concert at Sydney Opera House

Não posso dizer que sou fã do Simply Red. Nunca comprei seus discos, tampouco acompanhei a carreira do grupo. Mas todos nós conhecemos os grandes sucessos que fizeram. Fui atraído a conhecer melhor a banda pelo motivo oposto: as músicas menos conhecidas em gravações ao vivo, de estilos como blues, jazz, soul, funk e similares, às vezes instrumentais e ótimas jam sessions.

Como sou fanático por gravações ao vivo (trabalhei com isso por 15 anos), fui conferir esse ultimo trabalho da banda, um espetáculo ao vivo na área externa da Opera House em Sydney, Austrália. Quando coloquei o preview da música Heaven no iTunes Store, a qualidade da gravação me chamou a atenção; fui buscar meu fiel super fone de ouvido para conferir e pronto: tive certeza de estar diante de uma gravação de qualidade acima da média e de músicas com pitadas de jazz, do jeito que eu gosto. Acabei comprando o álbum pela iTunes Store na mesma noite.

Estive recentemente em Paris a trabalho e fui nas minhas lojas prediletas de lá, Fnac e Virgin Megastore; entre outras coisas, comprei o Blu-ray e o Digipak com CD e DVD deste show incrível que, como o título indica, é o registro de despedida desta banda. Detalharei essas edições a seguir.

Vídeo:

O show é gravado num formato comum para cinema, mas raro em shows (2,35:1), o que faz com que tenhamos as famosas barras pretas superior e inferior; neste caso em particular, não achei ruim. O show foi filmado em película 35mm, o que dá um resultado peculiar – que eu adoro nos shows – deixando a imagem com uma qualidade e textura únicas (como se vê em AC/DC: Live At Donington). Aqui não é diferente: a película faz com que tenhamos muitas cenas com granulação, especialmente as espetaculares tomadas aéreas que ocorrem durante o show, e nas cenas escuras. Vemos que pouco tratamento foi aplicado na pós-produção e isso não é ruim, no meu ponto de vista.

O palco é simples e minimalista, sem telas de LED ou pirotecnia, nem nenhum aparato de alta tecnologia que vemos nos shows de ultimamente. Tudo é focado nos músicos, no show em si e na música.

A iluminação é pouca, mas eficiente, com muito amarelo e azul em um trabalho ótimo neste quesito. Melhor ainda é o uso das câmeras e a edição; as tomadas são sempre cuidadosas e, ao mesmo tempo, profundas. Sempre que possível, vemos algo se destacando ao fundo, como a própria Opera House, a ponte ou algum edifício à beira do rio. As cores saltam aos olhos: o roxo da roupa de Mick Hucknall, as luzes, o fundo; tudo está em harmonia.

O cuidado na edição e no próprio show é evidente, já que não vemos roadies, técnicos ou operadores de câmera invadirem o palco ou  a tomada um do outro. Todo mundo ali sabia muito bem o que estava fazendo; é um prazer pra mim, que sou da área, ver um show tão bem executado como este.

As diferenças óbvias entre o Blu-ray e o DVD não precisam ser aprofundadas, mas quem escolher o DVD estará muito bem servido. A autoração é uma das melhores que tem por aí e o Digipak é lindo. O Blu-ray só pega o que está bom e deixa melhor. O bitrate do Blu-ray tem picos de até 35 Mbps, com média de 20 Mbps.

Áudio:

MARAVILHOSO. Fica até difícil detalhar tecnicamente algo tão bem gravado e executado. É uma das mais bem cuidadas gravações ao vivo que já ouvi, uma verdadeira joia. Tudo está em harmonia e a poderosa voz de Mick Hucknall (talvez poderosa até demais pro microfone Shure SM 58; acho até que houve regravação da voz em estúdio) é impressionante. A dinâmica que ele tem, com um timbre agudo peculiar, está impecável nesta gravação.

Os irmãos Pete e Steve Lewinson na bateria e contrabaixo, respectivamente, são a base do espetáculo. Excepcionais músicos que, nesta gravação, colocam todo o peso do show com respeito e imponência. O som da bateria, como sempre falo nas resenhas, é o pilar de uma gravação de qualidade: se ela soa bem, todo o resto acompanha. Aqui, tudo está impecável. Pra mim, um dos grandes prazeres da música é seu registro com qualidade (como deveria ser sempre) e esse show me deixou impressionado: está entre as melhores gravações ao vivo que já ouvi na vida!

Temos que tirar o chapéu: é descomunal o trabalho e o cuidado que se precisa ter para conseguir um resultado como esse. Passa desde o tipo de microfone usado, cabos, equipamentos de gravação, mixagem, autoração, amostragem, técnicos, acústica, volume do palco (quase nulo nesse show, já que todos os músicos usam monitoração in ear); enfim, as variantes de erro sempre são maiores e aqui só temos acertos. Como disse antes, não sou fã da banda, mas esse show, essa gravação em particular, deixou tudo melhor; o show ficou curto pra tanta qualidade musical e técnica.

Quanto aos aspectos técnicos das trilhas de áudio, o Blu-ray tem trilha em DTS-HD MA 5.1 48khz, com bitrate médio de 5 Mbps, e PCM Estéreo e o DVD tem áudio em Dolby Digital 5.1 e PCM Estéreo. O melhor áudio estéreo dos 3 formatos é o do CD, que está lado a lado com a trilha em alta definição. Impecável.

Extras:

De material extra, temos apenas uma entrevista com o vocalista Mick Hucknall, falando sobre o último show gravado da banda, o fim de uma era e o começo da carreira solo. Na verdade, um show desse se sustenta por si só, não precisando de mais nada.

Lista de faixas do CD:

  1. Out On The Range
  2. Your Mirror
  3. Heaven
  4. Enough
  5. For Your Babies
  6. You Make Me Feel Brand New
  7. If You Don’t Know Me By Now
  8. It’s Only Love
  9. Sunrise
  10. Come To My Aid
  11. The Right Thing
  12. Money’s Too Tight (To Mention)
  13. Stars
  14. Fairground
  15. Something Got Me Started
  16. Holding Back The Tears

Lista de faixas do DVD/Blu-ray

  1. Out On The Range
  2. Your Mirror
  3. Jericho
  4. Heaven
  5. To Be With You
  6. Enough
  7. For Your Babies
  8. You Make Me Feel Brand New
  9. If You Don’t Know Me By Now
  10. It’s Only Love
  11. Sunrise
  12. Come To My Aid
  13. Fake
  14. The Right Thing
  15. Money’s Too Tight (To Mention)
  16. Ain’t That A Lot Of Love
  17. Stars
  18. Fairground
  19. Something Got Me Started
  20. Holding Back The Tears

Conclusão:

Você gosta da banda? Compre! Gosta de música boa? Compre!

Um registro fantástico de uma banda que acabou, mas deixou um legado de bom gosto. Uma joia para amantes de boa música, que dará trabalho, mas muito trabalho, ao seu home theater ou sistema de som. Tudo que é bem gravado, como este show, exige muito do sistema pela dinâmica e baixa compressão de tudo.

Em suma: um prazer de ouvir. Extremamente recomendado.

[Contribuiu com a revisão e diagramação: Alexandre Prestes]

Edições disponíveis nas Amazons:

Categorias: Blu-rayDVDMusicaisResenhas

Tags: ,

Sobre o autor

Julian Conde tem aproximadamente 300 DVDs (com algumas raridades como Silence of The Lambs e Robocop da Criterion Collection) sendo 90% importados Região 1, pois nunca aceitou comprar os DVDs sem recursos como o som DTS e com encarte nacional (quando tem), sem extras, como chegam aqui na nossa “tropicalização”. Criou um Formspring exclusivo para tirar dúvidas dos leitores do BJC sobre hardware.