BD Resenha – Cães de Aluguel: Edição de 15˚Aniversário

\\\\\\

O BJC oferece aos seus leitores uma resenha completa da primeira edição da revista Blu-ray News (R$29,99), lançada na semana que passou em algumas cidades brasileiras. Essa resenha também é um marco histórico para o BJC, que pela primeira vez recebe de uma produtora um Blu-ray para ser resenhado. Ironia do destino ou não, a corajosa iniciativa partiu de uma empresa independente, pequena perto das grandes multinacionais líderes do mercado de home video.

Saiba mais sobre este lançamento aqui no BJC:

Espero que todos gostem da matéria, que explorou quase todos os recursos multimídia do BJC!

Sobre a revista:

Com 66 páginas (sendo apenas 14 com anúncios publicitários), a revista Blu-ray News surpreende com ótima qualidade de papel, impressão e encardenação. Com artigos muito bem escritos e diagramados, chama a atenção a quantidade e a densidade dos textos (estou tão aconstumado com matérias genéricas em jornais e revistas que até levei um susto com a profundidade do que está escrito).

Uma das informações mais interessantes da revista é afirmar que o custo do Blu-ray representa 10% do custo da produção de um DVD. Diz a matéria na página 09:

“Comparando com o tempo de produção, no mesmo período de tempo pode-se replicar uma quantidade muito maior de Blu-ray do que de DVD. Isso quer dizer que com o tempo, à medida que os investimentos se pagarem, o preço do Blu-ray deverá cair.”

Obviamente o autor (W. Andrade) está falando apenas dos custos de produção e não leva em consideração a tradicional ganância das produtoras no nosso país.

Temos também nada menos que 27 páginas na seção chamada “Na prateleira“, formatada como um catálogo de TODOS os Blu-rays lançados no país. Pelo que vi, só faltou mesmo o próprio Blu-ray de Cães de Aluguel encartado na revista (Dumbo por exemplo já está incluído).

Um problema que me chamou a atenção é que na matéria “Blu-ray vs DVD” a revista faz um comparativo de imagens entre o DVD e o Blu-ray com o intuito de flagar as diferenças na qualidade da imagem. Só que as diferenças não ficam nem um pouco evidentes. Esse tipo de comparação deve ser feita com ampliações de detalhes das cenas dos filmes e não com imagens completas dos frames colocadas lado a lado nas páginas (como foi feito).

Numa visão geral, a revista está voltada para aquele leitor novato que ainda não conhece profundamente o Blu-ray, mas não o trata como um ignorante digital. Isso deve ser saudado e, se a linha editorial continuar com esse tom, todos nós só temos a ganhar!

Em tempo: a revista tem uma matéria com donos de locadoras, falando sobre o “Paraíso Azul“. O BJC agora faz um pedido: queremos no próximo número uma matéria com colecionadores afinal, nós somos tão importantes quanto as locadoras nesse mercado viu André? 😀

Para quem quiser ver ela por dentro, clique no vídeo abaixo do JotacasTV. Começo a mostrar a revista aos 27:30 min:


Sobre a embalagem:

O Blu-ray encartado vem com estojo Amaray Dubois de 14mm. A impressão da capa e do disco são padrão Microservice, sem nada em especial. Cada vez mais dou razão ao nosso colaborador Fabrício “Fio” Lopes que disse em um Jotacast que a impressão do disco da “10−6serviço” é fedorenta. Realmente tem algo na tinta ou na mídia (ou na junção dos dois) com um cheiro estranho, merecendo esta nota aromática na resenha. 😀

A arte da capa é um ponto fraco da edição, poluída com sete blocos de texto citando atores, diretores e seus filmes (como se alguém nos dias de hoje ainda não soubesse que Cães de Aluguel é um filme de Tarantino).

A contracapa fica devendo a descrição completa do formato de tela (2.35:1 anamórfico). Por outro lado, temos a informação do número de camadas do disco (BD25) e que o filme está em Full HD 1080p.

Imagens:

Não há arte interna nem índice de cenas. Mas também é querer demais para um produto que custa metade do preço (em alguns casos até mais do que isso) de seus equivalentes, lançados por poderosas multinacionais que ignoram estes itens. Mas certamente o pessoal da NBO, que está lendo esta resenha, fará o possível para operar mais um milagre e quem sabe a próxima edição não saia com este mimo especial para os colecionadores!

Sobre os menus:

Fizemos um vídeo para mostrar os menus animados e um pouco da nevegação no Blu-ray:


Sobre a imagem:

O material de origem do filme em Full HD usa a mesma fonte do Blu-ray lançado nos EUA (segundo as informações da NBO), só que utilizando o codec H.264/MPEG-4 AVC (superior ao da versão americana que é MPEG-2). Infelizmente não temos condições técnicas de fazer nossas próprias capturas dos Blu-rays e comparar bit rates, mas para quem quiser dar uma olhada na resenha do DVD Beaver clique aqui e veja, inclusive, o comparativo  da imagem com edições em DVD lá fora.

Mesmo sem poder mostrar capturas do nosso Blu-ray, dá pra afirmar que a imagem possui um pouco de Edge Enhancement (como acontece também nos EUA) mas sem remoção da granulação natural da película (estes são os dois maiores vilões da qualidade de imagem).

Obviamente, a imagem desse Blu-ray é MUITO superior a qualquer DVD no mercado (mesmo os lançados lá fora).

Outro motivo que empolga é que o trabalho da ETC Filmes (empresa nacional responsável pela autoração deste título), conseguiu manter uma boa média de bit rate, com picos de quase 43 Mbps! Vejam:


Tem Blu-ray da toda poderosa Warner que NUNCA conseguiu chegar neste valor de bit rate!


Sobre o áudio:

Assim como no caso da imagem, a opção de trilha original em DTS-HD High Resolution (DTS-HD HR 6.1) é melhor do que qualquer outra lançada em DVD para este filme (3 Mbps). Como é Tarantino, o canal central é o mais utilizado nos já consagrados diálogos de seus personagens. As caixas surround surgem com força nas cenas que exploram a trilha sonora do filme, ambientando a sala de maneira muito envolvente.

A dublagem em português está presente (DD 2.0) com boa qualidade.

Sobre os extras:

São quatro extras, todos em SD (ao contrário da versão americana) que totalizam mais de uma hora de material, absolutamente TUDO legendado! São eles:

  • Jogo Rápido (15:44 min)
  • Profile (7:05 min)
  • Entrevista em um caminhão com Chris Penn (30:50 min)
  • Cenas deletadas (12:31 min)
  • Trailer

Imagens:


Cena deletada, com legendas

E agora o mais incrível. Quase caí de costas quando vi:

TRAILER LEGENDADO! YEAH! 😀

Considerações finais:

O Blu-ray de Cães de Aluguel lançado pela NBO Editora não é apenas o primeiro BD de banca do Brasil (quiçá do mundo), mas é também um dos melhores trabalhos em termos de conteúdo de uma produtora independente no nosso país. Representa a superação de todos os envolvidos na sua produção, evidenciando o esforço para que o formato do raio azul seja divulgado da melhor maneira entre colecionadores e fãs de cinema.

BJC recomenda!

...

Link para edições de O Homem de Aço em Blu-ray com dublagem e legendas PT-BR e disco de extras limado no Brasil (envio com rastreio completo pelo frete mais barato)

Categorias: Blu-rayDestaqueResenhasVídeos

Tags: , , ,

Sobre o autor

Jotacê é viciado em DVDs desde 2004 (começou tardiamente, na idade do metal discóide furado). Hoje em dia compra poucos DVDs para investir mais nos discos do raio azul (que coleciona desde 2008). Resolveu ter um site em 2008 para que fosse possível publicar tudo o que pensava sobre os disquinhos lançados no Brasil. E cá estamos nós! Twitter | YouTube | Flickr | Coleção