Protesto do colecionador – Embalagem slim da Fox [ATUALIZADO]

Post original datado de 8 de junho de 2008:

Onde-vamos-fox

Slim_naoDando continuidade ao nosso programa de protesto contra as embalagens de DVDs no Brasil (pois, para nós, embalagem é coisa importante, não é perfumaria), agora vamos falar um pouco da “produtora da raposa”.

A Fox nunca foi “flor que se cheire” em termos de embalagem. Seus Digipaks passam longe dos originais e acabaram sendo conhecidas por alguns colecionadores por “Falsipak”. Mas tudo bem, fora alguns problemas de encaixe do disco e tal, pelo menos os seriados (como Arquivo X e Simpsons, além do raro box triplo de Cleópatra) tinham uma apresentação razoável.

Eis que chegamos em 2008. E no início do ano a raposa “esperta” publica um informativo dizendo o seguinte:

Email_consumidor_fox

Com isso, estava declarada oficialmente a era dos DVDs em embalagem slim da Fox. Algo que já tinha se iniciado subrepticiamente em fevereiro de 2007, com Prison Break e 24 Horas sendo vendidos neste tipo de estojo, mas que até então não estava sendo utilizado em DVDs de FILMES. Como já comentado aqui, o filme dos Simpsons foi a primeira vítima.

Ainda restava uma esperança. Que as vendas caíssem abruptamente e que a raposa voltasse para a sua toca com o rabo entre as pernas e que o estojo Amaray voltasse (pelo menos) para as edições de filmes dessa produtora.

Mas eis que nessa semana que passou, vem via e-mail a pá de cal nas esperanças dos colecionadores brasileiros:

Conforme já é do seu conhecimento a Fox introduziu no mercado a embalagem SLIM para os nossos produtos de Lançamentos desde janeiro passado. O objetivo desta nova embalagem é trazer um conceito de inovação e praticidade para o produto DVD, atributos importantes para o consumidor da nossa categoria.

Estes atributos foram plenamente comprovados pelos consumidores na pesquisa qualitativa conduzida por instituto de pesquisa independente contrato pela Fox que teve o resultado divulgado a todo o mercado, inclusive, para a imprensa há alguns meses.

Restava ainda avaliar a percepção dos envolvidos com a categoria no ponto de venda, e em recente pesquisa realizada pela Fox com gerentes e encarregados da seção de DVD, nos principais pontos de vendas do país, a aprovação do “trade” veio ao encontro das nossas expectativas. Desta forma gostaríamos de compartilhar com vocês os resultados que encontram-se anexados a esta comunicação.

O nosso plano é converter gradativamente todos os nossos SKU´s, inclusive catálogos, para este mesmo formato. Foi importante ouvir o “input” de cada um, e isto nos deu a certeza de avançar no projeto.

Agradeço a todos e colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

20th Century Fox Home Entertainment Brazil

Quase tudo o que está escrito nesta nota pode ser questionado: que instituto de pesquisa é esse? Quem foi pesquisado? Que números foram obtidos? Como foi feita a avaliação com os gerentes? Que tipo de cliente compra nessas lojas? E quem reclamou via e-mail e foi ignorado não conta?

A Fox é uma empresa privada, que pode fazer o que quiser com os seus produtos. Mas ao mesmo tempo, nós, consumidores colecionadores, podemos dizer o que pensamos, avaliando os argumentos da empresa e protestando contra o que entendemos que não seja o melhor para nós.

O estojo magrinho até pode ser aceito em boxes de seriados, pois além das locadoras terem um problema de conservação pelo manuseio constante das embalagens, ele é protegido pela luva do box, que dá resistência e abrigo ao estojo.

Mas utilizar esse estojo em DVD de filmes acaba por desvalorizar o produto e a coleção de quem preza por estes disquinhos e o seu conteúdo. Não pagamos menos pelo DVD em slim, pelo contrário, eles continuam sendo vendidos pelo mesmo preço que antes. O intuito da Fox fica claro no momento que usa argumentos de marketing barato para justificar a sua ganância pelo aumento nos lucros (pois é evidente que o estojo slim é mais barato que o tradicional Amaray).

Observem que os argumentos da raposa não resistem a uma análise rápida de cada um dos itens destacados como “novidade”. Quem não é leigo no assunto também pode perceber que tudo isso não passa de uma estratégia para manipular a cabeça de quem não conhece o tema um pouco mais a fundo. Vamos lá:

1 – “Design moderno e arrojado”
Os marqueteiros foxianos tentam aplicar um ar “fashion” ao novo estojo. Arrojado? Talvez eles não conheçam essa embalagem aqui. Convenhamos, essas duas palavras para definir um novo produto (que não tem nada de novo) é lugar comum demais para uma empresa multinacional.

2 – “Projeto inteligente”
Ahá! De projeto eu entendo! Vamos ver: o estojo até tem certa facilidade em se retirar o disco, mas é muito mais difícil de abrir, justamente por sua dimensão reduzida. Ou querem me convencer que 7mm de lombada é mais fácil de manusear que 14mm? Como dizia aquele narrador de futebol da TV, pelo amor dos meus filhinhos dona Fox, não menospreze a inteligência dos seus clientes.

3 – “Mais espaço para sua coleção”
Vejam só! A Fox preocupada com os colecionadores! Nessa eles quase me enganaram! Mas é só vocês efetuarem uma comparação entre os boxes de 24 Horas em “Falsipak” e em Slim para perceber que isso é mais um absurdo dito apenas para convencer o consumidor desatento:

24_falsipak
5ª temporada de 24 Horas em “Digistak”. 36mm de lombada na estante.

24_slim
6ª temporada de 24 Horas em Slim. 50mm de lombada na estante.

Já que estão preocupados com espaço, qual o motivo dos boxes de seriados terem AUMENTADO DE TAMANHO para o MESMO número de discos dentro deles, hein? Na imagem do informativo que publiquei lá no alto, a empresa se utiliza de um sofisma para mostrar como é melhor ter o seu seriado em slim. Só que eles “esqueceram” que os seus seriados mais famosos utilizavam Digipak, que eram menores.

4 – “Praticidade no transporte”
Não há nenhum ganho em praticidade no transporte. Bem pelo contrário. Como o estojo é mais “mole” colocá-lo dentro de uma mochila é pedir para que ele abra do nada e seu disco caia no meio de diversos objetos que podem riscá-lo. Portanto, até pode ser mais leve, mas não é melhor de se carregar em bolsas ou coisas do tipo.

Mas sempre existe aquele consumidor (que até coleciona DVD) que não se importa com o que é lançado no mercado em termos de embalagem. Para estes, que só o conteúdo importa, lamento dizer que você está sendo enganado, pois está pagando o mesmo valor por algo que custa menos.

Embalagem não é bobagem! É nela que seus DVDs ficarão pelo resto da vida (dele), e é ela que faz a diferença de sua coleção para o DVD da imagem abaixo:

Dvd_pirata
Pelo andar da carruagem, se não ficarmos atentos e protestarmos contra o que está sendo feito, chegará o dia que todos os DVDs (ou até Blu-Rays) serão vendidos como DVDs de camelô, com impressão porca, saquinhos plásticos e sem impressão no disco. E TUDO ISSO PAGANDO O MESMO PREÇO!

Portanto, fique de olhos abertos ao que está sendo feito com o DVD do seu filme ou seriado preferido. Depois de toda a “caca” feita, ficará mais difícil de voltar atrás. Pode ser que esse blog tenha nenhum efeito sobre as decisões da Fox ou de outra produtora, mas vale a pena tentar mudar o rumo das coisas.

ATUALIZADO (mesmo):

O colecionador e colaborador do blog Tudo DVD, Gui Marchetti iniciou um abaixo-assinado CONTRA essa embalagem-lixo descrita no post acima. Espero que TODOS os leitores do BJC que não suportam essa porcaria que participem desta ação, para que fique clara a nossa insatisfação com a Fox e seus DVDs slimzados.

Acredito também que não adianta mais ficar só reclamando nos fóruns e nos comentários dos blogs. Temos que começar a bater panela e a protestar de uma maneira mais efetiva. O abaixo assinado é apenas o começo!

Portanto, clique aqui, “assine” e deixe seu recado de indignação a respeito do assunto!

————

lata gladiador

Categorias: DVDProtestos

Tags: , , , ,

Sobre o autor

Jotacê é viciado em DVDs desde 2004 (começou tardiamente, na idade do metal discóide furado). Hoje em dia compra poucos DVDs para investir mais nos discos do raio azul (que coleciona desde 2008). Resolveu ter um site em 2008 para que fosse possível publicar tudo o que pensava sobre os disquinhos lançados no Brasil. E cá estamos nós! Twitter | YouTube | Flickr | Coleção